Megacausa ESMA INICIO EL JUICIO DÍA A DÍA DOCUMENTACIÓN
INICIO CONTACTO ENGLISH PORTUGUÉS

Espaço Memória e Direitos Humanos

De centro clandestino ao espaço memória e direitos humanos




A ESMA, conjunto de prédios originalmente destinado ao alojamento e treinamento de suboficiais da Marinha, localizado na “Avenida del Libertador” - importante porta de acesso ao núcleo urbano na zona norte da cidade - foi um dos maiores centros clandestinos de detenção do país. Este centro também era utilizado como maternidade clandestina e como galpão para armazenar os bens roubados aos reféns.

A recuperação do imóvel ocupado pela Escola de Mecânica da Armada (ESMA) é parte da luta histórica do movimento de direitos humanos na Argentina, que começou com a resistência à ditadura e permanece firme até hoje. Essa ação persistente em busca da Memória, da Verdade e da Justiça, foi assumida por nosso país como política de Estado, desde 2003. Materializou-se, assim, a exigência de organismos de diretos humanos e sobreviventes de recuperar os prédios da ESMA, emblemático centro de extermínio da última ditadura, que transformou-se num lugar de resistência militar e controvérsias sobre a memória coletiva a partir da restauração da democracia, em 1983.

Em 2004, o Governo Federal e o da Cidade Autônoma de Buenos Aires (GCBA) criaram, com a participação ativa dos organismos de direitos humanos, o "Espaço para a Memória e para a Promoção e a Defesa dos Direitos Humanos" (Espaço Memória e Direitos Humanos) através de um acordo que estabeleceu a restituição dos terrenos à Cidade (1) e a expulsão da Marinha.

O Espaço é um lugar público que promove o exercício da memória sobre a tragédia que assolou a sociedade com a intenção de contribuir ao resgate do nosso pas- sado, num processo de elaboração coletiva, e com um forte compromisso em relação aos problemas e necessidades que nos depara o presente. Foi concebido, também, como um lugar de recordação e de homenagem às vítimas da ditadura civil-militar.

Nestes últimos anos, diversos organismos de direitos humanos e instituições públicas desenvolvem, no Espaço, inúmeros projetos e atividades vinculados com a promoção dos direitos humanos. Em 2014, mais de 245.000 pessoas visitaram o Espaço Memória.

+ Linha do Tempo dos Direitos Humanos na Argentina

+ Glossário (insert)

+ Mapa de Espaço Memória

+ Guia do Visitante

Para mais informações:
prensa@espaciomemoria.ar



EXPOSICION
23 05 2017
16:00 hs

El Espacio Memoria y Derechos Humanos se establece en el predio donde la Escuela de Mecánica de la Armada (ESMA) funcionó durante la dictadura cívico militar (1976-1983) como uno de los emblemáticos centros clandestinos de detención, tortura y exterminio, en el que fueron desaparecidas alrededor de cinco mil personas.


La creación del Espacio, reclamo histórico de los organismos de derechos humanos, fue motorizada por la decisión del entonces Presidente Néstor Kirchner y se plasmó en el Acuerdo que el 24 de marzo de 2004 suscribieron los gobiernos de la Nación y la Ciudad de Buenos Aires.

En el Espacio funcionan un conjunto de instituciones que tienen como objetivos básicos preservar la memoria, promover y defender los derechos humanos y testimoniar los delitos de lesa humanidad cometidos durante el terrorismo de Estado.
MEMORIA, VERDAD, JUSTICIA. 30.000 DETENIDOS-DESAPARECIDOS PRESENTES

Ente Público Espacio para la Memoria y para la Promoción y Defensa de los Derechos Humanos
Av. del Libertador 8151 | Tel. 4702-9920 | Ciudad de Buenos Aires (C1429BNC) Argentina | SEO | Todos los derechos reservados 2011


LICITACIONES Y COMPRAS